Caixa de texto: Auriculoterapia: Uma Visão Cética
Stephen Barrett, M.D.

Auriculoterapia é baseada no noção de que as estruturas e funções do corpo são de alguma forma “mapeadas” na superfície da orelha. Defini-se como uma estimulação da pele da orelha para diagnóstico e tratamento de problemas de saúde em partes do corpo. As duas principais abordagens têm a mesma terminologia e técnica mas diferente fundamentos teóricos. Dizem que a abordagem original — comumente chamada acupuntura da orelha, acupuntura auricular ou auriculopuntura —  data da antiga China e envolve a inserção de agulhas de acupuntura para estimular pontos na orelha. É baseada em noções chinesas tradicionais relacionada ao fluxo de energia imaterial através de canais hipotéticos chamados meridianos, mas versões atuais dessa abordagem postulam que funciona através de um sistema de reflexos que são organizados na superfície da orelha externa [1,2]. Essa versão da auriculoterapia relaciona “pontos de acupuntura” à funções de órgãos e incluem “pontos mestres” alegados como analgésicos, ativadores de glândulas, sedativos e que podem equilibrar os hemisférios direito e

É dito que a abordagem “moderna” — comumente chamada auriculoterapia — foi “descoberta” durante o início dos anos 1950 por Paul Nogier, um neurologista francês que propôs o seguinte:

· A superfície do corpo e os órgãos internos são representados na orelha em um padrão que assemelha a um feto invertido (homúnculo), como mostrado no diagrama a direita.

· Problemas em qualquer parte do corpo são refletidas pelo aumento da sensibilidade em um ponto correspondente na orelha.

· Estimulação elétrica, acupuntura ou massagem do ponto apropriado leva a uma abolição dramática ou diminuição da dor na parte do corpo correspondente.

 

Mais tarde, Nogier produziu diagramas adicionais no quais as partes da orelha que se diz representar um órgão específico variam de acordo com a “fase” da doença.

 

Dizem que as zonas da fase 1 são correlacionadas com a fisiologia normal ou patologia aguda. Fase 2 diz-se corresponder a condições degenerativas, com o “feto invertido” virada na posição correta. Fase 3 se diz corresponder a condições subagudas e crônicas com o homúnculo rodado cerca de 180°. Assim dizem que pontos relacionados com estruturas remotas podem ser encontrados em mais de três localizações dependendo do estágio do processo de doença [3].

Alguns órgãos e estruturas no sistema auricular chinês diferem daqueles postulados por Nogier porque o modelo chinês concentra-se em observações funcionais e ao invés de usar descrições anatômicas, os chineses identificam alguns pontos com nomes funcionais ou metafóricos. Assim os pontos de acupuntura são localizados de maneira mais nebulosa e e não foram integrados no mapas usados pelos seguidores de Nogier. [4]

Auricular Medicine International atualmente alega que “a medicina auricular tornou-se um sistema médico próprio” e que “diagnóstico auricular pode ser usado para descobrir mais de 200 doenças diferentes, incluindo doenças internas, ginecológicas, órgãos dos cinco sentidos, e todas as demais aberrações físicas e mentais”. [1] Também alega que o diagnóstico pode ser alcançado através da inspeção, da localização dos pontos sensíveis, da pressão com um instrumento para ver como a pele reage, mensuração da resistência da pele a uma corrente elétrica pequena e uso de um computador para interpretar as medições da resistência. [5]

A busca pelo Google para os termos “auriculotherapy” e “auriculoacupuncture” indica que “auriculotherapy” é de longe o termo mais comum mas são frequentemente intercambiáveis. Os termos acupuntura de orelha ou acupuntura auricular são usado quando a estimulação é conseguida através da inserção de agulhas de acupuntura. Quando pontos específicos ou zonas na orelha são estimulados por pressão manual, a abordagem é chamada acupressão auricular ou reflexologia da orelha. Pontos de acupuntura na orelha podem também ser estimulados com lasers, imãs e esferas. No restante deste artigo, vou usar auriculoterapia como termo para qualquer uma destas abordagens.

Os proponentes alegam que auriculoterapia é eficaz contra dor facial e vários doenças por todo o corpo. Alegam ainda que detecção da condutância elétrica e sensibilidade podem revelar pontos específicos que podem ser estimulados para alterar padrões reflexos anormais no cérebro, órgãos internos e outras regiões do corpo. Um dos principais livro-texto de acupuntura declara que “o sistema somatotopico auricular parece operar como um receptor-transmissor miniatura em contato direto com o sistema nervoso”.[2]

O Auriculotherapy Institute, fundado em 1999, oferece certificados em auriculoterapia, acupuntura auricular e medicina auricular. Seu site lista cerca de 340 terapeutas certificados nos EUA.

Considerações Práticas

Não há razão lógica para acreditar que mapas auriculares são válidos. Não existem vias conhecidas anatômicas ou fisiológicas através das quais pontos na orelha estejam conectados ao resto do corpo. Mesmo se novas vias fossem descobertas, elas não conseguiriam explicar como disfunções de órgãos poderiam ser detectadas ou como as localizações poderiam mudar de acordo com o estágio da doença. Também postula-se que a auriculopuntura possa agir através de uma ação reflexa relacionada com pontos específicos na orelha que se tornam sensíveis ou dolorosos ao toque. Um estudo com um desenho adequado não encontrou nenhuma relação entre regiões de dores musculoesqueléticas relatadas pelos pacientes e zonas de sensibilidade mostradas nos mapas da auriculopuntura [7]. Alguns outros encontraram relações, mas as alegações básicas são tão espúrias que é seguro admitir que o conceito de mapa nunca será substanciado.

Apenas alguns estudos testaram se auriculoterapia pode aliviar a dor. Um deles que tinha um bom desenho de duas partes envolveu 36 pacientes que sofriam de dores crônicas. Uma parte comparou os efeitos de estimular pontos designados e pontos controle não relacionados com a área dolorosa. A segunda parte comparou estimulação de pontos designados com um controle placebo sem estimulação. Após os escores de analgesia não mostrarem nenhum diferença em nenhum dos experimentos, os autores concluíram que a auriculoterapia não era um procedimento terapêutico eficaz contra dor crônica [8]. Um estudo mais recente bem desenhado com 90 pacientes com câncer e dor crônica concluiu que a intensidade da dor diminuiu em 36% após dois meses naqueles que receberam auriculoterapia e mudou pouco para aqueles que receberam o tratamento placebo. Os autores do estudo também pesquisaram a literatura médica e encontraram mais três ensaios randomizados que foram relatados como positivos mas era muito mal desenhados para serem convincentes [9].

A auriculoterapia pode curar doenças? Certamente não há evidência científica de que possa, e não há razão lógica para acreditar que mexer com a orelha de alguém possa modificar um processo patológico em uma parte remota do corpo.

Mesmo se a auriculoterapia pudesse aliviar a dor, dúvido que fosse custo-eficaz para ser usada para esse propósito. Como apontado acima, a evidência de eficácia é precária. Os estudos não foram feitos para testar se auriculopuntura seria capaz de reduzir ou eliminar medicações para dor. Ainda que fosse, seria provavelmente muito mais cara que a medicação. Além disso, o local onde auriculopuntura é praticada deve ser levado em conta. Pode ser seguro fazer em um centro médico que esteja realizando pesquisas baseadas no que é conhecido sobre a a anatomia e fisiologia humana. Entretanto, é bastante tolo buscar aconselhamento ou tratamento de pessoas que confiam em idéias muito ultrapassadas de como o corpo humano funciona.

Referências

1. History of auricular medicine. Auricular Medicine International Web site, accessed Feb 1, 2008.

2. Helms JM. Acupuncture Energetics: A Clinical Approach for Physicians. Berkeley CA: Medical Acupuncture Publishers, 1995.

3. Frank BL, Soliman N. Shen men: A critical assessment through advanced auriculotherapy. Medical Acupuncture 10(2), 1998.

4. Frank BL, Soliman N. Obesity treatment through auricular therapy and auricular medicine. Medical Acupuncture 14(1), 2002.

5. Auricular diagnosis. Auricular Medicine International Web site, accessed Feb 1, 2008.

6. Definition of auriculotherapy and ear acupuncture. Auriculotherapy Certification Institute Web site, accessed Feb 1, 2008.

7. Andersson E and others. Are auriculotherapy maps reliable for chronic musculoskeletal pain disorders: A double-blind evaluation. Acupuncture in Medicine 25:(3):72-79, 2007.

8. Melzack, Katz J. Auriculotherapy fails to relieve chronic pain. A controlled crossover study. JAMA 251:1041-1043, 1984.

9. Alimi D. Analgesic effect of auricular acupuncture for cancer pain: A randomized, blinded, controlled trial. Journal of Clinical Oncology 21:4120-4126, 2003.

 

Artigo publicado em 1 de março de 2008.

E no Brasil | Sugestões e Comentários | Outras informações | Página Inicial

 

1