Índice de Perguntas ||| Quackwatch em português

Harvey Bigelson, M.D.

Pergunta

Um dos meus pais está pensado em se submeter ao tratamento para câncer no Instituto de Medicina Biológica localizado em Tijuana, México. A clínica é operada por Harvey Bigelsen, M.D. O médico usa microscópio de "campo escuro" e técnicas diagnósticas de acesso do terreno biológico. Ele usa certos tratamentos como "Remédios Enderlein", desenvolvidos pelo Dr. Guenther Enderlein na Alemanha, Terapia de Quelantes, Citocinas, Transplante Alemão de Células Vivas e Homeopatia. Lemos um livro chamado "Hidden Killers" [Assassinos Ocultos] escrito pelo Dr. Erik Enby, um médico sueco que exerce em Goteborg, Suécia. Nele ele explica os trabalhos e terapias de Enderlein. Dr. Bigelsen diz que estudou sobre Enby na Europa e usa as Terapias Enderlein para tratar cânceres e doenças crônicas. Ele alega ter uma alta taxa de sucesso. Você tem alguma informação sobre ele ou sua clínica? O custo de seu tratamento é bastante alto mas quando você está desesperado por ajuda.

Resposta

Discutimos a maioria dos métodos acima no Quackwatch e os consideramos altamente questionáveis. Bigelson é ex-presidente de um comitê homeopático do Arizona. Em dezembro de 1992, um grande júri federal o acusou de uma conspiração para defraudar os Estados Unidos; sessenta e três menções de alegações falsas, fictícias ou fraudulentas; quarenta e quatro menções de fraude no correio; uma menção de conspiração para cometer um crime contra os Estados Unidos; e oito menções de obstrução de ações perante departamentos, agências e comitês. A indiciação declarou que ele tentou cobrar cerca de 8 mil dólares por terapia colônica, massagem terapêutica e serviços quiropráticos (incluindo acupuntura) -- as quais ele sabia que não eram cobertas pelo Medicare -- enviando formulários onde estes tratamentos foram representados por códigos de procedimentos de serviços cobertos pela "medicina física". O indiciamento também acusou que Bigelson e dois associados tentaram escapar da acusação mudando dados no computador de relatos de história de vários pacientes e enviando notas de progressos alteradas e falsificadas em resposta a intimação do grande júri. O caso foi resolvido com um acordo em que ele foi forçado a renunciar a sua licença. Ele foi sentenciado a cinco anos de liberdade vigiada e ordenado -- junto com um vizinho acupunturista -- a pagar US$117.900,00 em indenizações. Suponho que Bigelson mudou-se para o México porque não pode mais exercer medicina no Arizona.

 

Índice de Perguntas ||| Quackwatch em português

1