Quackwatch em português ||| Mais sobre a Homeopatia

Outros Testes Dúbios

Aparelhos de "Eletrodiagnóstico"

Stephen Barrett, M.D.

Alguns médicos, dentistas e quiropráticos usam aparelhos de "eletrodiagnóstico" para ajudar na selecioção dos remédios homeopáticos que eles prescrevem. Estes profissionais alegam que podem determinar a causa de qualquer doença pela detecção do "desequilíbrio energético" causador do problema. Alguns também alegam que os aparelhos podem detectar se alguém é alérgico ou sensível a alimentos, se está com deficiência de vitaminas ou se tem um dente com problemas. Alguns até mesmo alegam que podem dizer se uma doença, como o câncer ou a AIDS, não está presente. Uma clínica mexicana alega que um certo aparelho pode ser utilizado para curar o câncer. Os procedimentos são chamados de Eletroacupuntura de acordo com Voll (EAV), eletrodiagnóstico, rastreamento (screening) eletrodermal (EDS), diagnóstico das funções bioelétricas (BFD), terapia de bio-ressonância (BRT) ou técnica de regulação da bio-energia (BER)

O primeiro aparelho EAV foi desenvolvido por Reinhold Voll, um médico da antiga Alemanha Ocidental que atuava no exercício da acupuntura na década de 50. Em 1958, ele combinou a teoria da acupuntura chinesa com diferenciais cutâneos galvânicos para produzir seu sistema EAV. Cerca de 10 anos mais tarde, um de seus alunos (outro médico alemão chamado Helmut Schimmel) simplificou o sistema de diagnóstico de aproximadamente 850 pontos para 60 pontos, fez pequenas modificações no equipamento e continuou a contribuir para criar o primeiro modelo do Vegatest. Variantes subseqüentes incluíram o Accupath 1000, Biotron, Computron, Dermatron, DiagnoMètre, Eclosion, Interro, LISTEN System, MORA, Omega AcuBase, OmegaVision, Prophyle e Punctos III.

 Vegatest II

 Dermatron

Os proponentes alegam que esses aparelhos medem distúrbios no fluxo de "energia eletromagnética" do corpo ao longo dos "meridianos de acupuntura" [1]. Na verdade, esses aparelhos não são nada mais que galvanômetros extravagantes que medem a resistência elétrica da pele do paciente quando tocada por uma sonda. O aparelho emite uma diminuta corrente elétrica direta (0,87 volts para o Vegatest) que flui através de um cabo do aparelho para um cilíndrico de metal coberto por uma gaze úmida, o qual o paciente segura em uma mão. Um segundo cabo está conectado do aparelho a uma sonda, a qual o operador toca nos "pontos de acupuntura" na outra mão ou em um pé do paciente. Isto fecha um circuito de baixa voltagem e o aparelho registra o fluxo da corrente. 

A informação é então enviada para um medidor ou para uma tela de computador que proporciona uma leitura numérica em uma escala de 0 a 100. De acordo com a teoria de Voll: leituras de 45 a 55 são normais ("balanceadas"); leituras acima 55 indicam inflamação do órgão "associado" com o "meridiano" que está sendo testado; e leituras abaixo de 45 sugerem "estagnação e degeneração do órgão." O tamanho do número na verdade depende da força com que a sonda é pressionada contra a pele do paciente.

Versões recentes, como o Interro da foto abaixo, emite sons e proporciona a leitura em uma tela de computador. O tratamento selecionado depende da área de atuação do profissional e pode incluir acupuntura, mudanças dietéticas e/ou suplementos de vitaminas bem como remédios homeopáticos. 

 

Interro. Uma sonda é colocada em uma das mãos do paciente. Enquanto a outra sonda está tocando a outra mão ou pé do paciente, uma barra se eleva no lado direito da tela do computador (veja a seta), acompanhada por um ruído. A leitura supostamente determina o estado de vários órgãos do corpo. Em 1986, eu me submeti a um teste com este aparelho em uma clínica de Nevada. Descobri que o movimento da barra e a intensidade do ruído foram determinados somente pela força com que a sonda foi pressionada contra minha pele [2]. Após os alegados problemas serem "diagnosticados," ampolas de vidro contendo soluções homeopáticas podem ser colocadas nos favos de metal do primeiro plano e os testes são repetidos para determinar se elas são adequadas para corrigir os alegados "desequilíbrios."

Alega-se que o Computron, utilizado com o software Accupro, permite "uma visão geral abrangente do estado funcional de vários órgãos e tecidos. O site de um distribuidor declara: 

"Um exame cardiovascular completo, por exemplo pode envolver o teste em mais de 30 destes pontos cardíacos, teste para fatores causais como vírus, bactérias ou toxinas químicas. Então, sugestões de substâncias testes aparecerão na tela (por ex., substâncias químicas, remédios homeopáticos, alérgenos, ervas, vitaminas e minerais, etc.) as quais podem então ser testadas para se observar quais deixariam o corpo retornar a um estado de harmonia energética."

A Digital Health, de Draper, Utah, comercializa o Omega AcuBase Platinum. A companhia alega que o aparelho proporciona base para prescrição de mais de 9000 itens, incluindo remédios homeopáticos, ervas, medicamentos, cromoterapia, remédios florais e produtos patenteados. 

 

O Australian College of Allergy concluiu que o "teste Vega é uma técnica diagnóstica sem base científica." [3] Em 1997, um engenheiro biomédico descobriu que a colocação das ampolas na estrutura em favos de um aparelho Vegatest I não afeta a leitura do aparelho. Isto não surpreende, porque o vidro não é um condutor elétrico. 

O Mercado Atual

Os aparelhos EAV são comercializados por várias companhias, a maioria delas também patrocina seminários educacionais. A maioria faz alegações médicas espalhafatosas, mas algumas alegam que o aparelho é usado para "testar o estresse."

O Occidental Institute Research Foundation (O.I.R.F.), uma corporação canadense, comercializa diversos aparelhos e patrocina seminários de "medicina biológica alemã." O O.I.R.F. declara que tem 600 profissionais afiliados. Seu aparelho MORA III, foto ao lado, é descrito como útil no tratamento de alergias, asma, bronquite, gastrite, depressão, doenças circulatórias, intolerância alimentar, pancreatite, desordens reumatológicas e "todo tipo de distúrbios dolorosos."

Desde 1994, a BioMeridian (anteriormente chamada Biosource), de Ogden, Utah, que comercializa o LISTEN System, patrocinou o International Congress of Electro-Dermal Screening Healthcare Practitioners. Seu site proporciona uma visão abrangente de como os "aparelhos de eletrodiagnóstico" são promovidos. Suas informações sobre testes odontológicos incluem histórias de cinco pacientes que tiveram seus dentes ou restaurações removidos após o teste com o aparelho mostrar "desequilíbrios" alegadamente relacionados com dores no cotovelo, taquicardia (batimentos cardíacos anormalmente rápidos), dor de garganta, vômitos, diarréias, dores estomacais, fadiga, perda de peso, dor no tornozelo e insônia. Alega-se que o aparelho LISTEN restaura o "equilíbrio" por proporcionar sinais elétricos corretivos. Um pedido de patente de 1997 declarava:  

O princípio básico por trás do sistema LISTEN é que os pontos do corpo normalmente referidos como "pontos de acupuntura" têm uma resistência elétrica ótima em sujeitos saudáveis a qual muda durante as doenças. Cada ponto de acupuntura está associado com um meridiano específico, ou linha de condutância elétrica, que por sua vez está associado com um órgão ou sistema em particular do corpo. . . . 

Pela determinação da resistência elétrica em pontos diferentes em um paciente, é possível determinar quais órgãos estão afetados por uma doença. Além disso, um paciente pode ser tratado através da administração de um sinal elétrico de radiofreqüência que restaura a condutância elétrica em pontos específicos aos níveis normais [4].

Outra companhia patrocinadora de seminários é a Veradyne Corporation, de Alpine, Califórnia, que fabrica um aparelho EDS chamado Avatar. Durante 1998, seu site listou mais de 50 profissionais que diziam usar o aparelho. 

O Grieshaber Group baseado na Alemanha comercializa o equipamento Vega e outro "aparelhos de equilíbrio energético" através de subsidiárias em vários países. Também promove seminários e, desde 1994, tem controlado uma clínica de "medicina funcional" chamada Grieshaber Health Institute. A companhia declara que "mal estado de saúde de um examinador ou uma hiperatividade do lado esquerdo do cérebro" pode levar a erros de leitura. Apropriadamente utilizado, todavia, seu equipamento mais recente é capaz de proporcionar respostas que "podem parecer ficção científica" mas são "os resultados de décadas de trabalhos experimentais e de desenvolvimento." [5] 

O PanAmerican Institute of BioenErgetic Medicine, localizado nas Antilhas, oferece cursos e comercializa o aparelho Biotron. Seu site declara:

A medicina bioenergética é uma tecnologia leve que reconhece que os humanos são seres sensíveis e que respondem a formas de energia que estão além daquelas dos cenários de laboratório e das descobertas pela análise científica. Um profissional Bioenergético é uma pessoa altamente perceptiva, emocionalmente equilibrada, um estudante não apenas de medicina, mas também dos ensinamentos da metafísica, e utilizam não apenas tecnologia leve mas zelam tanto pelo corpo como da mente do paciente. A medicina bioenergética é deste modo capaz de guiar muitas queixas para uma resolução bem-sucedida utilizando uma variedade de técnicas clínicas brandas e  corretas.

Um curso de três dias em "Análise da Resistência Eletro-Dérmica" está disponível por 1500 dólares na Capital University of Integrative Medicine, uma escola não reconhecida em Washington, D.C. O curso inclui "avaliação da qualidade da saúde e o tratamento de desequilíbrios do sistema imunológico através das características de resistência dos meridianos de acupuntura específicos no corpo" e como "localizar as bases orgânicas da fragilidade do sistema imunológico e proporcionar estimulação para fortalece-lo."

A página "Equipamentos à Venda" do site da American Association of Naturopathic Physicians ocasionalmente lista aparelhos EAV usados. Um anúncio de 1998 sugeria que o profissional que usa estes aparelhos está bem a par que o FDA desaprova seu uso: 

VegaTest II completo com mala para transporte, eletrodo manual extra, manual de instruções (Short Manual of Vega Test), kits de testes e frascos de 114 alimentos. US$2000 pelo kit completo. Lembre-se, as unidades Vega não estão mais disponíveis nos Estados Unidos. Poupe-se das despesas altas e dos problemas de importar uma unidade Vega (e evita a possibilidade de ter a unidade confiscada na fronteira).

Fabricantes e usuários freqüentemente caracterizam os aparelhos EDS como aparelhos de "biofeedback" ou "teste de estresse." A Biosource, por exemplo, assegura que os aparelhos "proporcionam ao médico um método para identificar desequilíbrios dentro do sistema circulatório eletromagnético do corpo e ajuda na seleção dos remédios e tratamentos apropriados, necessários para o retorno a uma boa saúde." Alguns profissionais também alegam usar seus aparelhos como coadjuvantes no diagnostico ao invés de serem a única base do diagnóstico. Acredito que essas declarações não passam de conversa fiada e não poderiam ser sustentadas em um tribunal. 

A HoloConcept, de Québec, Canadá, declara que seu DiagnoMètre é "uma ferramenta de investigação eficaz com aplicações abrangentes na atenção à saúde. Por exemplo: "Acupressão, Acupuntura, Alopatia, Aromaterapia, Florais de Bach, Sais de Tecidos Bioquímicos, Bioenergética, Eletroacupuntura, Gemoterapia, Herbologia, Homeopatia, Isopatia, Cinesiologia, Litoterapia, Naturopatia, Terapia Nutricional, Oligoterapia, Organoterapia, Fitoterapia, Vitaminoterapia, etc." Um livreto recente promete que o aparelho pode "descobrir distúrbios energéticos no corpo humano em um estágio muito precoce, mesmo antes de eles aparecerem no nível físico." [6] Mas adverte: 

O uso do DiagnoMètre é limitado para propósitos de investigação por parte de profissionais da saúde. O usuário não pode prescrever qualquer medicação, recomendar qualquer tratamento, modificar ou interromper um tratamento, dar qualquer conselho ou diagnóstico médico baseado exclusivamente em indicações obtidas a partir do DiagnoMètre, porque seus instrumentos não são planejados para tais propósitos. O único propósito do DiagnoMètre é medir a variação da resistência elétrica da pele dos pontos de acupuntura sob diferentes condições. 

Phazx Systems de Colorado Springs, Colorado, alega que seu Body Scan 2010 "entra em contato com os caminhos de comunicação de dados próprios do corpo. Através da monitoração das respostas do corpo aos impulsos elétricos, ele determina a demanda energética e auxilia o profissional no estabelecimento de um protocolo de tratamento para trazer o corpo de volta ao equilíbrio." O site da companhia lista 69 profissionais nos Estados Unidos e 4 em outros países. A companhia também comercializa o VDL100 para "testar as respostas do corpo ao estresse contra substâncias tais como vitaminas e minerais." Extensas instruções e "certificados em saúde e bem-estar bioenergético" estão disponíveis através da International Academy of Bioenergetic Practitioners e remédios homeopáticos estão disponíveis através da Genex Systems, ambas parecem ser subsidiárias da Phazx Systems. O IABP Web Site declara: 

Muitos profissionais acham que suas áreas de atuação se expandem e tornam-se mais eficazes usando a bioenergética. Como estes serviços têm uma grande demanda, restauram a saúde e são pagos à vista, você podem competir mais facilmente no mercado e aumentar o fluxo do seu caixa. . . . 

Serviços bioenergéticos são um excelente coadjuvante aos exercícios profissionais tradicionais existentes de médicos, dentistas ou enfermeiros. Se você têm uma clínica agora e está pensando em aumentar seus serviços, a bioenergética prepara sua profissão para sobreviver as mudanças no mercado da saúde. Você será capaz de criar um novo centro de lucro, porque os pacientes estarão dispostos a pagar pelos serviços, bem como adquirir vitaminas e suplementos diretamente de você. Freqüentemente o teste de biofeedback pode ser cobrado e reembolsado através de companhias de seguro ou planos de saúde, usando os códigos CPT de biofeedback. Estabelecer uma clínica é fácil porque a satisfação do paciente é extremamente alta e que continua a edificar referências.

A bioenergética pode ser a ponte entre a medicina convencional e a complementar porque inter-relaciona muitos dos campos atuais de saúde (e das ciências) e também incorpora treinamentos na medicina chinesa, biofeedback, saúde holística e natural, ervas, homeopatia, homotoxicologia e uma abordagem nutricional voltada ao bem-estar. A bioenergética pode ser o caminho para uma integração tranqüila destes processos em uma prática médica mais convencional.

Através da incorporação da bioenergética em seu exercício profissional, você será capaz de usufruir todos os aspectos destes princípios, baseados nas necessidades individuais do paciente. Agora você pode tratar um paciente individualmente, ao invés de como parte de um grupo dividindo o mesmo diagnóstico ou sintomas comuns. Com seus novos conhecimentos você entenderá os processos únicos que levam à doença no seu paciente e será capaz de ver o cenário completo daquilo que é necessário para auxiliar na eliminação das causas de doenças. . . . 

Supõem-se que os códigos CPT refletem o que na verdade acontece. O teste EAV não é tratamento de biofeedback. Acredito que o uso de um código CPT de biofeedback para o teste EAV poderia constituir fraude. 

Apesar do site da IABP alegar que o EAV pode mostrar o que está errado com os pacientes, também declara que eles "não foram liberados para venda como aparelhos diagnósticos e seu uso não pode ser inferido ou considerado um procedimento médico. Estes aparelhos não podem diagnosticar condições específicas dentro do corpo ou tratar quaisquer doenças." Presumo que este alerta é uma tentativa de manter longe a ação reguladora federal por comercializar um aparelho diagnóstico não aprovado.  

O site da International EAV Association oferece informações adicionais sobre as teorias e "padrões" EAV. 

A Proteção ao Consumidor é Mínima

O FDA classifica "os aparelhos que utilizam medidas de resistência para diagnosticar e tratar variadas doenças" como aparelhos Classe III, o que requer a aprovação do FDA antes de sua comercialização. Em 1986, um funcionário do FDA me informou que o FDA Center for Devices and Radiological Health chegou a conclusão que o Dermatron e o Accupath 1000 eram aparelhos de diagnóstico que estabeleciam um "risco significativo." [7] Nenhum destes aparelhos podem ser legalmente comercializados nos Estados Unidos para propósitos diagnóstico ou terapêuticos. O FDA advertiu ou processou alguns comerciantes e baniu a importação destes aparelhos para os Estados Unidos. Em 1985, por exemplo, notificou um distribuidor que os aparelhos Vegatest não poderiam ser comercializados como aparelhos médicos sem a aprovação do FDA (a qual eles não têm) [8]. Agências estaduais de regulação também tomaram algumas ações. Entretanto, nenhum esforço sistemático foi feito para retirá-los do mercado. 

Devido a isto, aparelhos espúrios de "eletrodiagnóstico" estão sendo utilizados por muitos quiropráticos, acupunturistas, dentistas, médicos "holísticos," veterinários e supostos "nutricionistas." O uso mais comum é para prescrever remédios homeopáticos. Eles também estão sendo utilizados para determinar "alergias," detectar "deficiências nutricionais" e detectar pretensos problemas nos dentes que contêm restaurações com amálgama de mercúrio ("de prata"). Conheço dois pacientes que tiveram dentes saudáveis extraídos após serem mal diagnosticados com um aparelho de eletrodiagnóstico. Também sei de uma mulher australiana cujos gastos por visita foi de AU$120 (cerca de US$ 75) pelo o teste mais outros AU$200 (cerca de US$125) pelos produtos. 

Em outro caso, a comissão de licenciamento do Missouri acusou um quiroprático por dizer erroneamente a um paciente que sua infecção pelo HIV (o vírus da AIDS) tinha sido curada, levando a infectar com o vírus a mulher e a filha do homem. De acordo com uma reportagem no Kansas City Star, o paciente, que tinha hemofilia, consultou o quiroprático após saber que estava infectado com o vírus. De acordo com a queixa da comissão, o quiroprático disse que poderia tratar a doença com o auxilio de um aparelho Interro e prescreveu vários suplementos e ervas. Seis meses mais tarde, ele supostamente disse que o vírus havia sido erradicado e o paciente e sua esposa decidiram ter um filho. A criança nasceu em 1992, o paciente morreu alguns meses mais tarde de complicações desencadeadas pela AIDS, e exames subseqüentes mostraram que tanto a mãe como a filha estavam infectadas [9].

Já em outro caso, um homem que consultou um médico devido a um sangramento retal e cólicas abdominais sendo examinado somente com um Dermatron, foi informado que seu cólon estava bom. Infelizmente, o homem tinha câncer de cólon -- que não foi diagnosticado até pelo menos sete meses mais tarde quando ele consultou outro médico.

O mais estranho relato que já recebi veio de um pai que, após ler este artigo, telefonou para descrever como sua filha de cinco anos fora testada por um profissional não licenciado. Quando a criança ficou agitada, o teste continuou através do exame da mão do pai enquanto ele segurava a filha. O pai também notou que o profissional parecia manipular os resultados (buscando uma leitura  de "50" no aparelho) umedecendo ou secando o dedo da criança enquanto testava para selecionar o remédio apropriado. Duas outras pessoas que conheço que tinham câncer avançado foram erroneamente informadas que estavam sem câncer. A uma delas foi vendido 33 produtos para se livrar de "parasitas" e de outros problemas inexistentes. 

Em 1998, o Comitê de Disciplina do College of Physicians and Surgeons de Ontário (Canadá) declarou Jozef Krop, um médico canadense, culpado de má-conduta profissional em que ele deixou de manter o padrão de prática na assistência de seis pacientes cujos casos o comitê revisou. A má-conduta incluiu o uso de um aparelho Vega para "rastrear" e/ou determinar como tratar os pacientes [10].

Em 1999, a British Advertising Standards Authority revisou um panfleto que alegava que um aparelho de Terapia de Bio-Ressonância poderia ajudar pessoas sofrendo de dores de cabeça, excesso de peso, cansaços, inchaços, síndrome do intestino irritável, erupções cutâneas, artrites e tensão pré-menstrual. Em maio de 1999, após revisar um manual e outras informações sobre o aparelho, a Autoridade concluiu que as alegações não tinham fundamentos [11].

Concluindo

Os aparelhos descritos neste artigo são utilizados para diagnosticar problemas de saúde inexistentes, selecionar tratamentos inapropriados e fraudar as companhias de seguro. Acredito que os aparelhos EAV deveriam ser confiscados e que os profissionais que os usarem deveriam perder suas licenças. Se você encontrar qualquer aparelho, por favor notifique-o ao conselho estadual de licenciamento do profissional, ao procurador geral do estado, ao FDA, ao Federal Trade Commission, ao FBI, ao National Fraud Information Center e qualquer companhia de seguro para qual o profissional submete alegações que envolvem o uso do aparelho. Para o endereço destas agências, clique aqui. Por favor envie cópias de suas queixas para mim em P.O. Box 1747, Allentown, PA 18105 - EUA. Se você foi vítima de um profissional que usou algum destes aparelhos, por favor me telefone em (610) 437-1795. [Nos EUA]

Referências

1. American Association of Acupuncture and Bio-Energetic Medicine. Basic explanation of the electrodermal screening test and the concepts of bio-energetic medicine. AAABEM Web site, 1998
2. Barrett S. My visit to the Nevada Clinic. Nutrition Forum 4:6-8, 1987.
3. Katalaris CH and others. Vega testing in the diagnosis of allergic conditions. Medical Journal of Australia 155:113-114, 1991.
4. Brewitt B. Methods for treating disorders by administyering radio frequency signals corresponding to growth factors. U.S. Patent Number 5,626,617, May 13, 1997. Patent Number 5,629,286 contêm informação adicional. Para acessar o texto completo destes documentos, um dispositivo especial deve ser usado para fazer o download dos textos como imagens (clique em "Images" no alto ou no final da página), processo que pode levar uma hora.
5. VEGA NEWS 4, magazine of the VEGA Greishaber KG, Schlitach, Germany, 1998.
6. DiagnoMètre: An essential and effective invetigational tool with wide-renaging applications in health care. Quebec: Holoconcept, undated (distributed in 1999).
7. Rollings JN. Letter to Stephen Barrett, M.D., November 28, 1986.
8. Britain RG. Regulatory letter to John Fitzgerald, Director, Pulse Life, St. Maries, Idaho, March 2, 1985.
9. Canon S. Chiropractor accused of falsely claiming HIV virus had been cured. Kansas City Star, Sept 18, 1998.
10. Discipline Commitee of the College of Physicians and Surgeons of Ontario. In the matter of a hearing . . . between the College of Physicians and Surgeons of Ontario and Dr. Joseph Krop. Release date, Jan 20, 1999.
11. British Advertising Standards Organization. Adjudication: Allergy Testing Service, May 1999.

Ações Disciplinares Contra Médicos Canadenses Que Usaram o Teste Vega

Quackwatch em português ||| Mais sobre Homeopatia ||| Outros Testes Dúbios

Artigo revisado em 21 de julho de 2002.

1