Quackwatch em português

Equívocos sobre Imunizações

Introdução

As imunizações deveriam fazer parte da rotina da assistência à saúde obtida através de seu médico pessoal (ou em alguns casos, através do departamento de saúde local). Está disponível proteção a longo prazo contra sarampo, caxumba, rubéola (sarampo alemão), poliomielite, tétano (trismo), tosse comprida (coqueluche), difteria, catapora (varicela), Haemophilus influenzae tipo b (Hib), e hepatite B. A imunização contra todas essas doenças é recomendada para as crianças pela American Academy of Pediatrics, a American Academy of Family Practice, e pelo Advisory Committee on Immunization Practices dos Centros para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA.

Todos os estados norte-americanos agora exigem prova de imunização ou outra evidência de imunização contra algumas destas doenças para a matrícula na escola. Entretanto, as exigências variam de estado para estado, e exceções podem ser conseguidas por razões médicas, morais ou religiosas.

A imunização também é importante para os adultos. Aqueles que não são protegidos contra qualquer uma das doenças acima (exceto a coqueluche) deveriam consultar seus médicos. Reforços contra o tétano deveriam ser administrados a cada dez anos. Vacinas contra a gripe (as quais dão proteção apenas por uma temporada) e imunização contra pneumonia pneumocóccica são recomendadas para pacientes de alto risco, idosos, e certas populações institucionais. O FDA recentemente aprovou o LIMErix para indivíduos entre 15 e 70 anos que vivem ou trabalham em áreas de campo ou arborizadas onde estão presentes carrapatos portadores da doença de Lyme.

O sucesso dos programas de vacinação nos Estados Unidos e Europa [e também no Brasil] inspirou o conceito do século 20 de "erradicação de doença" -- a idéia de que uma doença selecionada pode ser erradicada de toda a população humana através da cooperação global. Em 1977, após uma campanha de uma década envolvendo 33 países, a varíola foi erradicada no mundo todo. O pólio causado por um vírus selvagem foi erradicado do hemisfério ocidental; os níveis de vacinação infantil nos Estado Unidos estão altos o tempo todo; e doenças e mortes por difteria, coqueluche, tétano, sarampo, caxumba, rubéola, e Haemophilus influenzae tipo b (Hib) estão em seu recorde mais baixo ou próximo disso. Em abril de 1999, o Centro de Controle de Doenças dos EUA publicou um fact sheet com algumas estatísticas interessantes a respeito do impacto da vacinação em doenças infantis:

Equívocos Comuns

Pelo menos dez equívocos podem levar os pais a questionarem a sensatez de imunizar seus filhos. Se você encontrar outros que gostaria que o Quackwatch comentasse, por favor entre em contato conosco.

Oposição por Quiropráticos e Naturopatas

Um grande número de quiropráticos e naturopatas [e alguns homeopatas] aconselham os pais a não imunizarem seus filhos. Essas ações são irresponsáveis e podem causar graves danos tanto aos pacientes como para nossa sociedade como um todo.

Para Informações Adicionais

Quackwatch em português ||| Calendário de Vacinação (Brasil)

Esta página foi revista no site original em 9 de outubro de 2000.

1