Quackwatch em português

Produtos de "Auto-Ajuda" Questionáveis

Muitas fitas, livros e aparelhos tem sido comercializados com alegações que inspiram as pessoas a funcionarem melhor mentalmente, melhoram as relações com os outros, aliviam a ansiedade ou depressão, ou alcançam outros objetivos desejáveis relacionados a emoções. Gerald Rosen, Ph.D., ex-chefe da Força Tarefa de Terapias de Auto-Ajuda da American Psychological Association, apontou o seguinte:

Fitas Subliminais

Milhares de fitas de vídeo e de áudio que parecem conter mensagens repetidas estão sendo comercializadas com alegações de que podem ajudar as pessoas a: perder peso, parar de fumar, melhorar a performance atlética, parar de beber, pensar criativamente, aumentar o QI, fazer amigos, reduzir dor, melhorar a visão, restaurar a audição, curar acne, dominar o medo, ler mais rápido, falar efetivamente, lidar com críticas, aliviar depressão, aumentar os seios, e fazer muitas outras coisas. Ao menos uma companhia tem oferecido fitas subliminares para crianças, incluindo uma fita para ensinar crianças a irem ao banheiro. Muitas fitas contem música que dizem serve para promover relaxamento. A maioria é promovida com alegações de que contêm mensagens que são inaudíveis ou dificilmente audíveis, mas algumas são clara ou completamente audíveis. As fitas de vídeo podem destacar imagens, ditas como relaxantes, combinadas com mensagens visuais repetidas mostradas tão brevemente que não podem ser vistas em velocidade normal. 

Muitos pesquisadores descobriram que as fitas subliminares não proporcionam nenhum benefício para o usuário. Um destes pesquisadores que testou fitas de diversas companhias concluiu que não continham nenhuma mensagem embutida que pudesse concebivelmente influenciar o comportamento [1]. Uma equipe de pesquisa testou voluntários em um estudo com fitas que supostamente podiam melhorar a memória e a auto-estima, mas trocando as fitas na metade dos participantes (para criar um grupo controle). Independente da fita utilizada, cerca da metade dos voluntários alegaram alcançar os resultados que foram informados que poderiam esperar -- mas testes objetivos de memória e auto-estima não mostraram nenhuma mudança [2]. Um comitê do National Research Council concluiu que apesar de muitas pessoas alegarem que fitas subliminares de auto-ajuda contribuem para o auto-aperfeiçoamento, não há nenhuma evidência científica para sustentar tais alegações [3]. Assim não há nenhuma razão para acreditar que fitas musicais com mensagens subliminares possam fazer qualquer coisa a mais para o bem-estar físico ou mental que ouvir uma música comum. Não há nenhuma evidência científica de que mensagens que não podem ser ouvidas são inconsciente ou subconscientemente percebidas ou possam influenciar o comportamento [4].

Dispositivos de Biofeedback

Monitores de temperatura cutânea operados por bateria (US$20 a US$80) e aparelhos que medem atividades de ondas cerebrais ou musculares (US$200 a US$400) têm sido comercializados através do correio para uso domiciliar. A Harvard Health Letter advertiu que tais aparelhos não foram sistematicamente avaliados e é provável que "tenham uma vida útil curta antes de serem esquecidos em um closet ou ático, ganhando poeira" [5]. Testes em aparelhos de biofeedback domiciliar que são alegados ajudar as pessoas a manipular suas ondas alfa têm demonstrado que os aparelhos na verdade respondem aos movimentos dos olhos do usuário ou a interferência de correntes elétricas domiciliares. 

"Sincronizadores de Ondas Cerebrais"

Diversas companhias tem comercializado dispositivos que liberam luzes intermitentes e sons através de óculos e fones de ouvido modificados. Os aparelhos são perigosos porque luzes intermitentes podem desencadear ataques epiléticos em indivíduos suscetíveis, incluindo alguns sem nenhuma história prévia de ataques. Em 1992 o FDA recebeu uma queixa que um aparelho deste tipo (o "Relaxman Synchroenergizer") tinha levado uma mulher de 21 anos a ter seu primeiro ataque. O aparelho tinha sido comercializado com alegações não substanciadas que podia melhorar a digestão e função sexual e controlar dor, hábitos, e vícios. Em 1993 o FDA iniciou uma apreensão do suprimento inteiro do fabricante, os quais um juiz subseqüentemente ordenou que fosse destruído [6]. O FDA também interrompeu o comércio de "InnerQuest Brain Wave Synchronizer," o qual tinha sido alegado proporcionar controle dietético, alívio de estresse, alívio de dor e aumento da capacidade mental [7]. O FTC e quatro procuradores-gerais de estado recentemente entraram com queixas contra a Zygon International, Inc., a qual tinha alegado que usuários da "The Learning Machine" aprenderiam idiomas estrangeiros durante a noite, quadruplicariam sua velocidade leitura, expandiriam seus poderes psíquicos, fortaleceriam a auto-estima, e substituiriam hábitos ruins por bons [8]. Não há nenhuma evidência científica que qualquer aparelho possa ajudar pessoas por sincronizar os dois lados do cérebro ou aumentar a freqüência de ondas alfas (um tipo de onda cerebral) [9].

Programas Educacionais de Auto-Ajuda

Muitos empresários usam informes publicitários em televisões a cabo que prometem que seus materiais educacionais podem aumentar a auto-confiança, melhorar a performance pessoal, e trazer sucesso de várias maneiras. Um artigo de 1995 na revista Forbes apontou que programas "educacionais" podem servir a um propósito útil se capacitarem alguém a agir mais decididamente [10]. Entretanto, os programas não foram validados por estudos científicos e provavelmente não ajudarão a maioria das pessoas que os comprarem. 

Florais de Bach

Florais de Bach são preparações altamente diluídas que se diz terem sido desenvolvidas durante os anos 30 por Edward Bach, um bacteriologista e homeopata inglês [11,12]. Ellon USA, Inc., de Lynbrook, Nova York, declara que Bach "acreditava que a única maneira de curar doenças era focalizar as causas emocionais de base da doença." Esta companhia comercializa uma "fórmula de resgate emergencial" para "acalmar e estabilizar as emoções" e uma linha de 38 "remédios florais" que se diz aliviar emoções negativas. Também se diz que o Remédio de Resgate é "de grande benefício para todos animais, não importa se grandes ou pequenos" e "útil em amenizar o trauma de plantas transplantadas, quedas de flores ou árvores lesadas". [11] Os vários remédios podem ser selecionados usando o "questionário de auto-ajuda" de 116 itens da Ellon. Alguém que se sente atolado de trabalho, por exemplo, é aconselhado a tomar o produto chamado Elm, ao passo que alguém que tenha opiniões fortes e fica facilmente enfurecido por injustiças é aconselhado a usar o Vervain. Um concorrente da Ellon descreve seu Remédio de Regaste como "o produto que você precisa para tomar conta de todos os tipos de emergência de estresse emocional." O catálogo desta companhia declara que este produto "ajuda centrar as emoções até que a crise pertença ao passado" e descreve como útil para: (1) uma mulher estressada por causa de seu computador "travado", (2) uma mulher lidando com uma irrequieta criança que está aprendendo a andar, (3) o parceiro de um jogador de tênis de duplas que perdeu alguns saques, (4) participantes em um acidente pequeno de carro, e (5) um homem correndo para embarcar em um avião que de repente percebe que se esqueceu de pegar seu terno e que deixou suas chaves e passagens em casa. Algumas companhias comercializam produtos adicionais que dizem estarem baseados nos princípios de Bach. 

Remédios de Bach também são promovidos através de livros, seminários, profissionais, e consultas por telefone. Alguns proponentes declaram que os remédios podem "equilibrar os campos energéticos sutis do corpo" e "prevenir doenças antes que os sintomas físicos se desenvolvam." 

Para saber mais sobre os Florais de Bach

Referências

1. Merikle PM. Subliminal auditory messages: An evaluation. Psychology and Marketing 5:355­372, 1989.
2. Greenwald AG, Spangenberg ER, Pratkanis AR. Double-blind tests of subliminal self-help audiotapes. Psychological Science 2:119­122, 1991.
3. Bjork RA and others. In the Mind's Eye. Enhancing Human Performance. Washington D.C., 1991, National Academy Press.
4. Moore TE. Subliminal perception: Facts and fallacies. Skeptical Inquirer 16:273­281, 1992.
5. Biofeedback. Harvard Medical School Health Letter 15(10):1­4, 1990.
6. Stehlin IB. Unapproved devices seized. FDA Consumer 29(7):32­33, 1995.
7. Unapproved 'brain wave' devices condemned after seizure reports. FDA Consumer 28(2):41­43, 1994.
8. Four attorneys general, FTC reach settlement with Zygon International, manufacturer of "The Learning Machine." NAAG Consumer Protection Report, March/April 1996, pp 10­11.
9. Beyerstein BL. Brainscams: Neuromythologies of the New Age. International Journal of Mental Health 19(3):27­36, 1990.
10. Gubernick L, Mao P. The happiness hucksters. Forbes October 9, 1995, pp 82­88.
11. Vlamis G. Bach Rescue Remedy: Homeopathy in the home. Homeopathy Today 2(8):4-5 1982. Reprinted and distributed during the 1980s by Ellon, Inc.
12. McCutcheon L. Bach flower remedies: Time to stop smelling the flowers? Skeptical Inquirer 19(4):33-35, 1995.
______________________

Porções deste artigo apareceram na 6ª edição do Consumer Health: A Guide to Intelligent Decisions.

Quackwatch em português 1