Índice de Perguntas ||| Quackwatch em português

 

A Quitosana é um "Imã de Gordura"?

Stephen Barrett, M.D.

Pergunta

Anúncios da quitosana alegam que ela pode reduzir o colesterol e produzir perda de peso rápida por bloquear a absorção de gordura. Isto é verdade?

Resposta

A quitosana é derivada da quitina, um polissacarídeo encontrado no exoesqueleto de crustáceos como camarão, lagosta e caranguejo. Muitos vendedores alegam que a quitosana causa redução do peso por ligar-se a gorduras no estômago e impedi-las de serem digeridas e absorvidas. Alguns referem-se a ela como um "imã de gordura". Ainda que a quitosana possa diminuir a absorção de gordura, a quantidade contida nas cápsulas é pequena demais para ter um efeito importante sobre os níveis de colesterol. Além disso, com produtos redutores de colesterol melhores e mais previsíveis disponíveis, não faz muito sentido usar a quitosana para este propósito. Não há nenhuma evidência que a quitosana seja eficaz para o controle de peso. 

A British Advertising Standards Authority tem acolhido queixas sobre os produtos de quitosana anunciados por oito companhias. No caso onde as cápsulas "Fat Magnets" [Imãs de Gordura] foram descritas como "o mais aclamado suplemento alimentar absorvedor de gordura", a Autoridade concluiu:

Os anúncios diziam que o produto era vendido não em uma plataforma de emagrecimento mas no terreno que, por absorver gordura, ele prevenia ganhos de peso. Eles argumentaram que era um anúncio de um suplemento alimentar, não um auxiliar de emagrecimento, e não estava deste modo sujeito à Cláusula 51. [Este cláusula afirma que: Quaisquer alegações feitas em relação a eficácia ou ação de um método ou produto para emagrecimento deveriam ser sustentadas onde apropriado por ensaios clínicos rigorosos em pessoas; testemunhos que não são sustentados por ensaios não constituem comprovação.] Os anunciantes providenciaram um relato técnico do conteúdo do produto (o qual incluía a quitosana) e cópias de aproximadamente 30 ensaios conduzidos em animais, in vitro e em humanos. Eles providenciaram os resultados de uma pesquisa por telefone com 201 pessoas. A Autoridade apontou que os respondentes à pesquisa não viram o nome no contexto e consideraram que os leitores deduziriam do anúncio, parcialmente por causa do nome do produto, que os tabletes ajudariam a perder peso. Alguns dos ensaios mostravam uma relação entre o consumo de quitosana e perda de peso por um período de quatro semanas num grande número de pessoas no total. A Autoridade pediu uma análise de especialistas e concluiu que havia muitos problemas com, e incompatibilidade entre, os ensaios. Foi apontado que os ensaios em humanos que mostraram perda de peso tinham aparecido em uma revista de toxicologia que não era reconhecida internacionalmente por sua especialidade em questões relacionadas ao peso. A Autoridade reconheceu o volume de material acumulado pelos anunciantes mas concluiu que, por causa dos resultados nos relatos dos ensaios, a capacidade da quitosana de impedir a absorção de gordura da dieta suficiente para afetar o balanço energético em humanos não havia sido comprovada. Por causa disto e do nome do produto, a Autoridade pediu aos anunciantes tanto para tornar claro no futuro que não foi comprovado que o produto ajuda a emagrecer ou prevenir ganho de peso e consultar a equipe do Conselho de Publicação antes de anunciar o produto novamente. [1]

Dois estudos recentes não encontraram nenhuma diferença significativa no peso ou níveis de colesterol no sangue entre sujeitos que usaram a quitosana e aqueles que receberam um placebo. Um estudo envolveu 30 voluntários acima do peso que receberam quatro cápsulas ou de quitosana ou de um placebo por 28 dias consecutivos e foi pedido que mantivessem suas dietas normais. Os grupos quitosana e placebo não mostraram nenhuma diferença no peso ou nos níveis de colesterol no sangue [2]. O outro estudo envolveu 51 mulheres obesas saudáveis seguidas por 8 semanas. O grupo quitosana teve uma redução no colesterol ligeiramente (mas não significativamente) maior que o grupo placebo, mas não ocorreu nenhuma diferença no peso entre os dois grupos [3].

Em 31 de agosto de 1999, o FDA advertiu o presidente da TRY-Lean, Inc., para parar de fazer alegações de que usar os produtos contendo quitosana de sua companhia reduziria o risco de obesidade, hipertensão arterial, ataque cardíaco, e câncer [4]. 

Em 2000, os comerciantes do "Enforma System" concordaram em resolver as acusações do FTC de propaganda enganosa de que o usuário podia "comer o que quisesse e nunca, jamais, teria que fazer dieta novamente". A queixa do FTC mencionou o Enforma Natural Products, Inc., seu presidente e chefe executivo, Andrew Grey, e Fred Zinos, um ex vice-presidente de vendas e marketing. O sistema consiste de "Fat Trapper" [Caçador de Gorduras] um produto baseado em quitosana proposto para prevenir a absorção de gordura da dieta; e "Exercise In A Bottle" [Exercícios em um Frasco] um produto de piruvato que supostamente aumenta a capacidade do corpo de queimar gordura. O sistema foi promovido principalmente através de informes publicitários de 30 minutos na televisão, destacando o ex-jogador de baseball Steve Garvey, bem como através do site da companhia. O acordo proibiu os comerciantes de fazer alegações não comprovadas que qualquer produto, serviço ou programa: proporciona controle de peso sem dieta ou exercícios; previne absorção de gordura; aumenta o metabolismo; queima gordura; ou causa perda de peso mesmo se o usuário comer alimentos ricos em gordura. A companhia também deve pagar 10 milhões de dólares para ser usado em restituições ou distribuído ao Tesouro dos EUA [5]. 

Referências

  1. British Advertising Standards Association. Adjudication: Marshtech International Ltd t/a Fat Magnets International Ltd. December, 1997.
  2. Pitler MH and others. Randomized, double-blind trial of chitosan for body weight reduction. European Journal of Clinical Nutrition 53:379-381, 1999.
  3. Wuolijoki E and others. Decrease in serum LDL cholesterol with microcrystalline chitosan. Methods and Findings in Experimental and Clinical Pharmacology 21(5):357-361, 1999.
  4. Bingham, CA. Warning letter to Larry C. Ormson, president, TRY-Lean, Inc., Elroy, Wisconsin, Aug 31, 1999. [Documento em PDF]
  5. Marketers of "The Enforma System" settle FTC charges of deceptive advertising for their weight loss products. FTC news release, April 26, 2000.

Índice de Perguntas ||| Quackwatch em português

Este artigo foi revisto no site original em 2 de maio de 2000. 1